Foragido do EJA, deputado Amauri diz que nenhum governo corta verba da Educação se não “haver” necessidade

O deputado estadual Amauri Ribeiro (Patriota), que rejeitou a sugestão do Goiás 24 Horas para se matricular no EJA (curso de ensino básico para adultos), mutilou outra vez a língua portuguesa nesta quinta-feira. Ironicamente, para justificar o seu voto a favor da PEC do desmonte da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Amauri afirmou que “nenhum governo corta verba da Educação se não ‘haver’ necessidade”. 

Aulinha grátis para o deputado: neste contexto, o verbo haver não deveria ser usado no futuro do presente do modo indicativo, mas sim no futuro do subjuntivo. Portanto, o correto é: “se não HOUVER necessidade”.