Reitor da UEG sinaliza que curso que não tiver 70% de professores efetivos não terá vestibular. Quase nenhum tem

Além da circular assinada pelo pró-reitor Valter Campos que praticamente anuncia o fim da Universidade Estadual de Goiás (UEG), outra importante pista que a UEG está a caminho da cova foi dada pelo reitor Ivano Devilla na última reunião do Conselho Universitário. O reitor disse que não deverá haver vestibular para cursos que não tiverem 70% de professores efetivos. Hoje, praticamente nenhum curso atende a este requisito.

A imensa maioria dos professores da UEG são temporários e serão demitidos ainda neste ano (todos estarão na rua ate o dia 30 de novembro). A próxima reunião do conselho universitário acontece entre os dias 4 e 6 de setembro.