Assim fica difícil: deputados escolhem Chico KGL, foragido do EJA, para leitura da ata na Assembleia

Minutos de tortura na Assembleia Legislativa, no começo da tarde desta quarta-feira: deputado Chico KGL, com sua insofismável dificuldade de relacionamento com a língua portuguesa, foi convidado para ler a ata da sessão anterior – procedimento obrigatório a cada abertura de nova sessão. KGL (potencial aluno do EJA, curso de alfabetização para adultos) tropeçou em uma palavra a cada três lidas. Um verdadeiro massacre contra o ouvido alheio.