Herdeiro da família real brasileira briga com presidente do PSL e pode deixar partido de Bolsonaro

O deputado federal Luiz Phillippe de Orleans e Bragança deixou de integrar o diretório estadual do PSL em São Paulo, na útima quinta-feira, após embate com o prnacional da sigla, Luciano Bivar. A decisão se dá na esteira do desgaste provocado com a criação do diretório municipal, aprovado nesta semana pelo PSL paulista, presidido por Eduardo Bolsonaro.

Ligado à “ala ideológica” do partido, o herdeiro da família real foi responsável por indicar o nome de Edson Salomão, chefe de gabinete de Douglas Garcia (PSL) e fundador do movimento Conservador, à presidência do diretório municipal. Ele era primeiro-secretário do órgão. A atitude contrariou a ala ligada a Bivar, que queria outro nome.

O deputado nega que tenha ambições eleitorais para 2020. Mas há quem afirme dentro do partido que o plano é medir força com Joice Hasselmann, que já se colocou como a pré-candidata da sigla para disputa, e ser o candidato do PSL à sucessão de Bruno Covas em São Paulo.