Caos de Enel: período chuvoso tem início com problemas no abastecimento de energia em Iporá, denuncia site

O site Oeste Goiano denuncia que “diversas interrupções no fornecimento de energia elétrica já estão sendo verificadas na zona rural de Iporá, com o início do período chuvoso’.
Veja a matéria completa: “Até mesmo dentro da zona urbana isto ocorre. Mas é nas fazendas onde o problema tem sido mais frequente. Há relatos de propriedades rurais ficarem até 3 dias sem energia elétrica. Isso traz prejuízos para produtores rurais, principalmente no acondicionamento de leite. A ação de manutenção da Enel é muito lenta em resolver este tipo de problema.Um membro da diretoria do Sindicato Rural com quem a reportagem do OG conversou explica que isto tem ocorrido por causa da falta de manutenção em redes de transmissão, com queda de árvores sobre fios ou mesmo o atrito de galhos em redes, o que provoca a interrupção no fornecimento de energia. A prática de podas ao longo das linhas, explica o diretor do Sindicato, é a forma eficaz de evitar o problema.

Entre diretores do Sindicato Rural já se fala que, se persistir esta situação, terão que fazer mais um ato público de protesto contra a Enel, a concessionária que tem a exclusividade no fornecimento de energia. No dia 15 de fevereiro deste ano de 2019 a diretoria do Sindicato Rural fez um grande protesto contra a Enel, o qual repercutiu até na imprensa da capital do Estado. “Outro igual aquele poderá ocorrer”, afirma diretor do Sindicato.

Durante o período de estiagem deste ano o fornecimento de energia em fazendas da região esteve em condições normais. Este início de chuvas é que já preocupa os produtores rurais, quando a ventania e temporais colocam as redes em contato com as árvores.
Dentro da cidade a energia elétrica já faltou por tempo significativo nos últimos dias e há relatos de quedas repentinas e seguidas no fornecimento de energia. Foi o que informou um morador do Parque das Estrelas, em Iporá, contando sobre o risco de se estragar aparelhos elétricos. Espera-se também para dentro da zona urbana medidas que impeçam isso”.