Caiado sinaliza com migalha ao Sintego para calar os professores diante da reforma previdenciária; Bia Lima ainda comemorou

O governador Ronaldo Caiado sinalizou com migalhas ao Sintego para calar os professores diante do aumento para até 22,5% da contribuição previdenciária. Caiado disse que pode pagar o salário dos professores da ativa dentro dos mês trabalhado, mas excluindo os aposentados.

E mais: negou as progressões para quem espera o benefício para se aposentar e descartou o pagamento da data base para os administrativos e o piso salarial nacional para os professores.

De concreto mesmo, a migalha de pagar o salário dos professores da ativa dentro do mês trabalhado, o que, convenhamos, é muito pouco.

Nos tempos sombrios do caiadismo, o Sintego nem longe lembra o velho e combativo Sintego.