Ao concluir prestação de contas, secretária de Economia insiste na necessidade de Goiás aderir ao RRF

Em audiência pública da Comissão de Tributação, Finanças e Orçamento, a secretaria de Economia, Cristiane Schmidt, afirma que, “apesar dos esforços para combater o quadro de penúria fiscal, isso não é suficiente”.

De acordo com a titular da Pasta, dois pontos são imprescindíveis: as reformas tributária e previdenciária do Brasil; e ações para que Goiás entre no Regime de Recuperação Fiscal (RRF).

Cristiane Schmidt também ressaltou que, nos principais tributos do estado, houve crescimento de 9,6% (ICMS) e 8,9% (IPVA). “Ainda assim, a DCL/RCL reduziu de 92% para 85% em relação ao término do último exercício”, disse.

Ainda conforme a secretária de Economia, ao término do 2º quadrimestre, houve uma redução de 43,1% do estoque de “Restos a Pagar”; aumento significativo das despesas com pessoal (segundo ela, pela ótica da apuração da Lei de Responsabilidade Fiscal); e queda nas operações de crédito.