Prefeito de Anápolis diz que 386 mil pessoas ficaram sem água por falta de gestão da Codego

O prefeito de Anápolis, Roberto Naves, atribuiu as falhas no fornecimento de água da região sul da cidade à falta de gestão da Companhia de Desenvolvimento do Estado de Goiás (Codego). A instituição é responsável pelo sistema de captação e distribuição do Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia), que abastece as residências de 386 mil moradores do município e foi comprado pela Saneago.

Em entrevista à Rádio Sagres 730, Roberto Naves destacou que 30% da população de Anápolis enfrentou problemas por conta da ausência de investimentos para aumentar a capacidade do reservatório em questão. “Quando fomos informados o sistema já estava em colapso”, disse.

Ainda segundo Naves, o reservatório abastecido pelo Rio Caldas chegou a secar. “A Codego vende água para a Saneago e quando ela comunicou o problema o sistema já estava em colapso”, observou.

Como o período chuvoso continua irregular, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Semad) decidiu no início da semana prorrogar as medidas adotadas em outubro para minimizar o desabastecimento de água no município. A portaria publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) estende por mais 30 dias a determinação para que todas as captações nas bacias dos Rios Caldas e Piancó continuem suspensas.(Pedro Lopes, site Poder Goiás)