Otavinho Lage e Sandro Mabel tentam negociar com deputados caiadistas a não prorrogação da alíquota de 15% do Protege

Empresários entraram em campo na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (11) para tentar barra na base do governo Caiado a prorrogação da lei que institucional Fundo Protege com alíquota de 15%.

O presidente da Adial Goiás, Otavinho Lage, e o presidente Fieg Sandro Mabel, protagonizaram as articulações.

A secretária da Economia, Cristiane Schmidt, já explicou que, para evitar a cobrança desse percentual para o Protege, basta migrar para o novo programa de incentivos fiscais, o ProGoiás, que prevê contribuição de 10%, mas os empresários rejeitaram a ideia.