Caiado só pensa em cortar benefícios dos servidores, mas ignora licitação de R$ 125 milhões do Ipasgo

O governador Caiado só pensa em cortar benefícios e gastos dos servidores públicos estaduais. Neste ano, os salários devem atrasar nos próximos meses. A justificativa é a crise financeira do Estado, agravada pela pandemia do coronavírus. Essa crise, no entanto, não parece incomodar o Ipasgo, que estava fazendo licitação de R$ 125 milhões para comprar um software.

O TCE entrou na parada e suspendeu o processo de compra. O presidente do Ipasgo, Silvio Fernandes, jura que está tudo certo na licitação e fez uma defesa pesada do gasto.

Dá pra acreditar???