Anápolis vai liberar atividades econômicas de acordo com situação de risco

Anápolis vai liberar as atividades econômicas no município levando em conta a situação de risco em relação aos avanço do novo coronavírus na cidade. Com isso, a prefeitura deixa de editar decretos quinzenais e passa a obedecer a norma preconizada no boletim epidemiológico nº 11 do Ministério da Saúde.

“Num único decreto, a equipe sintetizou como conviver com essa nova realidade da Covid-19”, afirmou o prefeito Roberto Naves.

Para determinar a classificação de risco, são avaliados dois fatores principais. Um deles é a incidência de casos de Covid-19 por milhão de habitantes. Outro é a vulnerabilidade do sistema de saúde. Como a cidade, que atende toda a macrorregião centro-norte, ampliou o número de leitos de UTI e enfermarias, inclusive com um centro de internação específico para pacientes com coronavírus, a atual classificação é de risco leve.

Em coletiva no fim da tarde desta segunda-feira (27), o prefeito Roberto Naves disse que a saúde do município conseguiu estocar equipamentos de proteção individual (EPIs), avançar na telemedicina e aumentar o número de profissionais de saúde. Com isso, é possível estabelecer certa flexibilização.

O município também anunciou a compra de 5 mil testes RT-PCR, de alta precisão, para diagnóstico de Covid-19. Os testes terão resultados em 24 horas e serão aplicados em pacientes internados ou com sintomas moderados.

Entenda o sistema

A abertura de estabelecimentos ocorre de acordo com a classificação de risco. Se esta for leve, praticamente todas atividades econômicas tem permissão para abrir as portas, seguindo protocolos elaborados pela vigilância epidemiológica municipal. Se ela for moderada, alguns setores que geram aglomeração precisarão voltar a fechar as portas. Se o nível chegar a crítico, o isolamento é quase total, com funcionamento apenas de estabelecimentos essenciais.

A situação de risco epidemiológico de Anápolis será atualizada semanalmente, todas as quintas-feiras. Se houver mudança no nível de criticidade, os empresários deverão abrir ou fechar as portas a partir da segunda-feira seguinte. Estão inclusas nos decretos micro e pequenas empresas, além de empreendedores individuais. As grandes devem seguir determinação do decreto estadual.

Para saber se poderá abrir as portas, o empresário deverá consultar o site da prefeitura e utilizar o número da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (Cnae). No sistema, que ainda será disponibilizado no portal, os empresários verão como fica o funcionamento do estabelecimento de acordo com cada classificação de risco, além de encontrarem qual protocolo sanitário devem seguir em caso de abertura. Ao todo, são 12 protocolos específicos.