AD

Teich diz que governadores são responsáveis por taxas baixas de isolamento social

Pressionado por senadores, o ministro da Saúde, Nelson Teich, disse que o relaxamento no isolamento social é consequência de decisões dos governadores. Ele respondeu depois de ser instado pelos senadores Tasso Jereissati (PSDB-CE), Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Kátia Abreu (PP-TO).

Teich fala em sessão do Senado por meio de videoconferência nesta 4ª feira (29.abr.2020). Os 3 congressistas citados cobraram uma posição clara do ministro a favor ou contra o isolamento como forma de conter o avanço do coronavírus.

O médico assumiu o ministério depois de o antigo ministro, Luiz Henrique Mandetta, ser demitido. Mandetta tinha discordâncias com o presidente Jair Bolsonaro sobre a forma de lidar com a pandemia. Bolsonaro quer que as pessoas voltem ao trabalho e que apenas continuem isolados aqueles que se enquadram no grupo de maior risco para a doença.

“O Ministério da Saúde nunca mudou a orientação original de manter o distanciamento”, afirmou Teich. Ele também afirma que há preocupação com a saúde mental das pessoas em isolamento.

Os senadores não têm direito à réplica na sessão, por isso o ministro não precisou responder a novos questionamentos de Tasso, Vieira e Kátia Abreu.

Otto Alencar (PSD-BA) falou em seguida, e criticou as declarações de Teich. Alencar afirma que os governadores trabalham pelas medidas restritivas.

“Se aceitou ser ministro, certamente está aceitando também aquilo que o presidente Jair Bolsonaro defendeu”, afirmou o senador, referindo-se às declarações passadas de Bolsonaro contra o isolamento social. (Poder360)