Ismael Alexandrino perde o controle e Sindsaúde denuncia que falta de EPIs é problema generalizado em Goiás

A presidente do Sindsaúde, Flaviana Alves, apontou nesta sexta-feira (8) o Hugo como tendo a situação mais grave de contágio de covid-19 em Goiás. Lá, aproximadamente 180 profissionais da saúde já foram afastados devido a confirmação ou suspeita de estarem contaminados pelo coronavírus.

A presidente do sindicato disse ao Jornal Opção que diversas denúncias estão chegando à direção do Sindsaúde. “São denúncias de situações de proporções bem menores às encontradas no Hugo”, explicou Flaviana, que destacou, dentre as demais unidades, problemas também nos CAIS Novo Mundo e Bairro Goiás, Crer, Hugol e Huapa. A secretaria da Saúde claramente perdeu o controle.

A falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os cuidados dos profissionais de saúde é, segundo Flaviana, um problema generalizado. A presidente ressalvou que após ação judicial movida pelo sindicato no Ministério do Trabalho e sentenciada em abril deste ano, houve uma melhora nas condições de trabalho oferecidas nessas unidades.

“Temos uma preocupação muito grande em relação a abertura do comércio. Não podemos agravar a situação pois já existe uma superlotação em diversas unidades. Precisamos que o governo atue ou enfrentaremos uma grave crise de saúde pública em nosso Estado. Já não temos profissionais suficientes, além disso ainda oferecem péssimos salários e condições precárias de trabalho”, sublinhou.