Lissauer destaca nova posição de Goiás como terceiro maior produtor de grãos do país

Defensor do agronegócio e representante do setor rural no Parlamento goiano, o presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira (PSB), comemorou o resultado positivo do 8º Levantamento da Safra 2019/2020 da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

De acordo com a pesquisa, Goiás passou a ser o terceiro maior produtor de grãos do país, ultrapassando Rio Grande do Sul e ficando atrás apenas de Mato Grosso e Paraná. Além disso, Lissauer ressaltou ainda os números positivos da balança comercial goiana, que alcançou superávit de 34,6%.

Para o chefe do Legislativo, essa nova posição do estado no ranking nacional de produção de grãos reforça a pujança de Goiás na agricultura e a importância do setor agro diante do atual momento econômico enfrentado pelo país em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Segundo ele, diversas áreas da economia brasileira estão passando por um momento de incertezas e de retração produtiva, mas o agronegócio, mais uma vez, deve ser o “fiel da balança”.

“Essa terceira posição conquistada por Goiás no ranking dos maiores produtores de grãos do Brasil comprova a força do nosso setor rural e a capacidade de expandir cada vez mais a nossa produção. Vivemos em um cenário de insegurança econômica e vários setores já sentem os impactos negativos dessa pandemia. No entanto, o agronegócio brasileiro, que atualmente é responsável por cerca de 20% do nosso PIB, deve novamente ser o fiel da balança e contribuir significativamente para minimizar os efeitos dessa grave crise que estamos enfrentando”, ressaltou Lissauer.

Levantamento da Conab

Segundo dados apontados pelo 8º Levantamento da Safra 2019/2020, houve crescimento de 10% na estimativa de produção goiana, de 6,1% na área de cultivo e de 3,7% em produtividade em relação à safra anterior, com Goiás, agora, representando 10,8% da produção nacional de grãos.

Entre os destaques, em Goiás, estão sorgo, milho e soja. No caso de sorgo, o estado se mantém na primeira posição do ranking de produção, com 1,22 milhão de toneladas, crescimento de 23,4% na safra 2019/2020 em relação à safra passada. No milho, a estimativa de aumento foi de 10,9% na produção, com 12,74 milhões de toneladas produzidas, o que representa 12,5% da produção nacional, colocando Goiás em terceiro no ranking de produção no país. Também houve crescimento de 11,7% na área de cultivo de milho, com mais de 1,87 milhões de hectares.

A produção de soja goiana foi outro setor que obteve resultado positivo, com aumento de 9,0%, com 12,46 milhões de toneladas, representando 10,4% da produção nacional e terceira posição no ranking do Brasil. A área cultivada passou a mais de 3,54 milhões de hectares, número 2% maior, e a produtividade cresceu 6,9%, com 3.516 quilos por hectare.

Superávit positivo

O presidente da Alego também ressaltou o resultado da balança comercial goiana, que terminou o mês de abril com superávit de US$ de 105,7 milhões e crescimento de 34,6% em relação ao mesmo período de 2019. Os dados foram divulgados pelo Governo de Goiás nesta quarta-feira, 13. Essa é a segunda alta consecutiva registrada em 2020. Em março, o saldo foi de US$ de 469,8 milhões, o segundo maior em dez anos e a expectativa é de que essa tendência de evolução continue.

De acordo com Lissauer, o setor agro é um dos principais responsáveis para a alta desses números. “Estamos otimistas com esses resultados e com a certeza de que Goiás está no caminho certo. Sem dúvidas, o agronegócio goiano é o principal fator para esse saldo positivo, prova disso são os números relacionados à exportação de produtos de soja que cresceu 13% em abril, representando mais de 50% do total de exportações”, salientou o presidente da Alego.

Com relação às regiões que mais exportaram no estado, está o Sudoeste goiano, representado por Lissauer no Poder Legislativo. Rio Verde e Jataí são os municípios que mais venderam para o exterior. Já os principais compradores são Anápolis, Aparecida de Goiânia e Catalão.