Em menos de dois anos de governo, Caiado jogou fora o prestígio que tinha com as polícias Civil e Militar

Não é segredo para ninguém que a eleição de Ronaldo Caiado para o governo do Estado foi impulsionada pelo apoio que ele recebeu das forças de segurança. A onda direitista-armamentista que varreu o país, capitaneada por Jair Bolsonaro, achou ressonância no discurso moralista de Caiado, que prometeu mundos e fundos para os policiais civis e militares de Goiás.

Caiado caminha para um ano e meio de governo e o que se vê é seu prestígio abalado entre as forças de segurança do Estado. Aquele apoio full que Caiado tinha na PM e PC não existe mais. Basta uma conversa simples com qualquer policial que ele vai revelar descontentamento com o atual governo.

A Polícia Militar esperava mais valorização. Caiado vem tirando benefícios da PM e até hoje não pagou o novo salário dos praças e oficiais promovidos ainda no ano passado. Na Polícia Civil, mais de 100 delegados aprovados em concurso aguardam nomeação. O prazo para convocação expirou na sexta-feira (22). O secretário Rodney Miranda garantiu que os delegados serão convocados até o final do ano.