Site Século Diário, do Espírito Santo: “Imagem de Rambo vendida por Rodney em Goiás é arranhada por denúncia de grampo e suposto desvio de R$ 1 milhão”

Deu no site Século Diário, do Espírito Santo:

“Uma das principais marcas da gestão de Rodney Miranda (Republicanos) à frente da Secretaria de Estado de Segurança (Sesp) no governo Paulo Hartung foi transportada para Goiás nessa quinta-feira (3), onde ele ocupa o mesmo cargo desde o início de 2019, nomeado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), após derrota à Câmara dos Deputados.

Por lá, pega fogo um áudio atribuído ao primo do governador, Jorge Caiado, que o acusa de grampo ilegal e suposto desvio de R$ 1 milhão destinado ao Corpo de Bombeiros. A denúncia foi parar na Assembleia de Goiás (Alego) pelo deputado e delegado Eduardo Prado (DC), com forte repercussão na imprensa daquele estado, chegando, também, aos grupos de WhatsApps no Espírito Santo.

Em seu discurso, Prado diz ter confirmado com o autor a veracidade do áudio e que “Rodney grampeou deputados no Espírito Santo quando foi secretário lá e acabou então sendo afastado pelo governador do Estado”. O caso do grampo à Rede Gazeta também foi colocado à tona, citando matéria nacional da época. Prado, presidente da Comissão de Segurança da Alego, apresentou requerimento à Presidência para convocar o denunciante e também convidou Rodney a se explicar no colegiado, o que deve ocorrer na próxima semana. O pedido foi endossado por outro deputado-delegado, Humberto Teófilo (PSL), e Talles Barreto (PSDB), que defendeu a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

Repetindo em Goiás a imagem de “Rambo Capixaba”, com sucessivas postagens e avisos de com ele “a bandidagem não tem vez”, Rodney precisou se defender logo do teor do áudio, dizendo à imprensa de Goiás ser “ofensivo e inverídico” e, como resposta, afirmou que fez dois Boletins de Ocorrência (BO) e irá acionar o primo do governador na Justiça. Não demorou muito e está aí o primeiro – e grande – arranhão.

Investigação
Em suas redes sociais, Prado divulgou o áudio e reforçou que são denúncias “graves de corrupção e interceptação telefônicas do secretário. Fatos que devem ser apurados, até porque são notitia criminis (…), fase preliminar do inquérito policial”. O deputado disse, ainda, que foi contatado pela Ordem dos Advogados (OAB-GO) e outras instituições “preocupadas com a situação” e que Jorge Caiado é “um homem sério”.

Espalhou
As notícias estão estampadas em pelo menos quatro jornais de Goiás: Jornal opção, Goiás 24h, Diário de Goiás e Mais Goiás, e no próprio site institucional da Assembleia Legislativa. Nas redes sociais, o áudio se propaga na velocidade de luz, chegando aos militares capixabas.

Alguns transcreveram o áudio…
“Oi secretário Rodney, tudo bem? Aqui é Jorge Caiado e eu quero falar com o senhor o seguinte: o senhor tem que largar de ser cabra safado (palavrões). Você não vem querer grampear telefone meu, não sou bandido, o senhor me respeita (palavrões). Então, você está querendo explodir o governo do Ronaldo Caiado. Eu não admito e não aceito. Você fica levando todo mundo na conversa, você é um 171, um safado. E eu não sou Eurípedes não. Eu quebro a sua cara, seu moleque safado. Tá certo? Você que pegou dinheiro do governo, R$ 1 milhão do bombeiro. Você fez um trato e quer explodir o pessoal nosso todinho. Gente da minha confiança. (Palavrões). Você não é homem, você é frouxo, covarde. Marca um lugar que você quer ir, comigo. E chama seus amarra-cachorros, esses ladrãozinhos. Você me respeita (palavrões).

Maquiagem
Desde que assumiu o cargo em Goiás, Rodney usa as redes para repetir números favoráveis de sua atuação, como fez aqui durante anos de comando na Sesp, principalmente citando dados de queda de homicídios. Se a conta fecha por lá, ainda não sei, mas por aqui não passava de maquiagem.

Desastre
A passagem de Rodney na Sesp, longe disso, foi considerada um desastre: recorde de homicídios, ações midiáticas, casos polêmicos do crime do juiz Alexandre Martins e do grampo (teve até CPI que apontou uma série de irregularidades nas interceptações feitas no Estado, mas não chegou à leitura do relatório final), etc., etc. etc…

Sem palanque
Na disputa de 2018, ele tentou se eleger à Câmara, mas ficou pra trás, com 42,8 mil votos, recebendo abrigo em Goiás. No ano passado, chegou a anunciar candidatura à prefeitura de Vila Velha, onde também teve gestão pífia, entrando em rota de colisão com o deputado estadual Hudson Leal, do mesmo partido e candidato declarado há meses. Mas até então “bem na foto” no novo estado, Rodney recuou e desistiu de tentar retornar às bandas de cá.