Websabatina: Wilder defende geração de emprego e incentivo para atividades econômicas em Goiânia

Pré-candidato a prefeito de Goiânia, o ex-senador Wilder Morais participou nesta quarta-feira (9/9) de websabatina da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Goiás (Fecomércio Goiás). Wilder, que lidera o movimento Goiânia Que Queremos, respondeu perguntas do presidente da Federação, Marcelo Baiocchi, dos empresários e colaboradores do setor, além da imprensa.

Baiocchi deu início a rodada de perguntas. “Você está na sua casa. Empresário nato e de sucesso”, disse Baiocchi ao pré-candidato. “Uma honra receber você para apresentar suas propostas para Goiânia”, acrescentou.

Baiocchi questionou o ex-senador sobre a retomada das atividades econômicas para o setor de eventos na capital após a Pandemia. O presidente da Fecomércio Goiás também ressaltou que os impactos ainda serão grandes para os profissionais que dependem do setor. Além disso, Wilder foi questionado por Baiocchi sobre ações para fomentar a retomada da economia no setor do comércio.

*Inovação de gestão para gerar emprego, oportunidade e renda*
“Um dos nossos eixos será a criação de 7 macrozonas, com subprefeituras, para atender necessidades de todas as regiões de Goiânia”, defendeu. Segundo Wilder, a iniciativa de dividir a cidade em macrozonas pode contribuir para a solução de diversos problemas, como o do transporte público. “Desde 84, quando mudei para Goiânia, eu escuto que as pessoas vão resolver o problema do transporte público. Com a criação das macrorregiões, vamos criar emprego perto da onde as pessoas vivem. Só com isso, vamos tirar muitas pessoas do transporte público”, defendeu.

*Centro de volta para a população*
Sobre o comércio, Wilder usou como exemplo o Centro de Goiânia. Segundo ele, mais de 400 lojistas abandonaram o local por falta de apoio, segurança e por conta de impostos caros. “O Centro está morto não por causa da pandemia, mas por causa do esquecimento”, alegou. A revitalização do bairro é um dos projetos de Wilder para Goiânia.

Para apoiar os pequenos, médios e grandes negócios, Wilder prevê a criação da Secretaria de Indústria e Comércio Municipal. “Ela terá uma superintendência para todos aqueles que precisam de um apoio da prefeitura”, destacou. Wilder lembrou que no período que esteve como titular da Secretaria de Estado de Indústria e Comércio conseguiu atrair pelo menos 169 novas indústrias para Goiás. Segundo ele, o modelo será implementado em Goiânia.

O pré-candidato também lembrou que a Região da 44 coloca Goiânia como a segunda capital da moda no Brasil. Ele destacou que a vocação da cidade para o setor, aliada com apoio da Prefeitura, pode colocar a capital como a primeira no ranking. “Vamos fazer o reordenamento na 44 para que ela se torne a número 1 no Brasil, garantindo mais emprego e renda para Goiânia”, disse.

*Goiânia Cultural*
Wilder destacou que Goiânia tem vocação para o setor de eventos. Demonstração disso são as grandes estruturas montadas para receber shows e outros eventos culturais na capital. “Esse tipo de atividade movimenta muito nossa economia”, afirmou.

Segundo o pré-candidato, uma das ações para o setor é transformar Goiânia em uma cidade plural. Para isso será criado um espaço exclusivo para eventos culturais de todos os segmentos. “Vamos ter o maior espaço de eventos do Brasil. Com isso, vamos mexer com a economia como um todo”, afirmou ao destacar que outras áreas, como esporte agricultura e gastronomia, também vão ganhar espaços para desenvolvimento de suas atividades.

Apoio do governo federal
Como ex-senador, Wilder ressaltou que conhece todos os trâmites para conseguir recursos federais para serem investidos na capital. “Goiânia nunca apresentou um projeto para Brasília. Com bons projetos, temos condições de trazer recursos para nossa capital”, defendeu. “Conheço o jogo e sei como as coisas funcionam em Brasília”, acrescentou.