Processado pelo ex-sócio por dívida de R$ 750 mil, Marrone diz que não tem dinheiro e pede assistência judiciária gratuita 

A Coluna Leo Dias, publica no site Metrópolesz, noticiou na sexta-feira (19) que José Roberto Ferreira, o cantor Marrone, da dupla com Bruno, está sendo processado por um ex-sócio por não pagar uma dívida de R$ 750 mil. Segundo o processo que corre na Justiça, o cantor deve esse valor após desfazer uma sociedade com Eurismar Aparecido Ferreira.
Os dois eram sócios da churrascaria Favo de Mel, em Goiânia (GO), e após o fim da parceria, ficou acordado que Marrone compraria a parte de Eurismar, em 2017, por esse montante. No entanto, outra parte da ação chamou atenção: o pedido de assistência judiciária gratuita por parte da defesa do sertanejo.
No processo, os advogados dizem que Marrone não teria como pagar as despesas processuais, porque “em razão da pandemia, a atividade laboral do embargante (Marrone) foi diretamente comprometida, o que consequentemente refletiu em seus rendimentos mensais”. A defesa diz ainda que o cancelamento dos shows se estendeu até o fim do ano, “sem qualquer previsão de volta”. Além disso, eles acrescentam nas matérias provas de que a dupla teve 25 shows cancelados.