Governo anuncia promoção de 1.985 agentes para 1ª classe da Polícia Militar

O governador Ronaldo Caiado irá promover 1.985 agentes que hoje estão na 2ª classe da Polícia Militar do Estado de Goiás (PM-GO). A promoção será no mês de dezembro e não necessitará de Teste de Aptidão Profissional (TAP). Com a mudança, cerca de 15% da tropa terá acréscimo no salário, que chega a R$ 6,3 mil.

“Fizemos as progressões e toda uma política também para mostrar a importância de nossas forças policiais. Hoje, a segurança pública do Estado de Goiás é reconhecida e ocupa o primeiro lugar no país, conforme atesta o próprio ministro da Justiça, André Mendonça”, declarou Caiado durante live especial de aniversário, na última sexta-feira (25/09), transmitida por suas redes sociais.

“Esses soldados são os que estão na linha de frente, que estão nas unidades operacionais. São da última turma. É muito bom tê-los motivados para dar o retorno que a sociedade tem vivenciado, que é uma redução histórica dos índices de criminalidade”, declara o comandante-geral da Polícia Militar do Estado de Goiás, coronel Renato Brum.

A primeira medida do governador Ronaldo Caiado para beneficiar este grupo de militares foi extinguir o soldado de 3ª classe, cargo que havia sido criado em 2015. A lei que acabou com essa classe dos agentes da Segurança Pública de Goiás foi sancionada em março do ano passado. A extinção era uma promessa de campanha de Caiado e foi aprovada pela Assembleia Legislativa de Goiás.

Com a sanção do governador, deixaram de existir as 3ª classes de soldado no Corpo de Bombeiros, Administração Penitenciária, Polícia Militar e Polícia Civil. Essa foi apenas uma das medidas tomadas pelo Governo do Estado para proporcionar dignidade e reconhecimento aos profissionais que atuam para reduzir os índices de criminalidade em Goiás.

Para Caiado, as forças policiais representam o sustentáculo do governo. “Isso é resultado da eficiência e presença de nossas polícias. É gratificante estar à frente de uma gestão em que as polícias correspondem às expectativas daquela que é a segunda principal demanda da população: segurança pública e combate à criminalidade”, celebrou.