Senador Canedo vai receber uma extensão da Zona Franca de Manaus

A prefeitura de Senador Canedo e a Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus) avançam com as negociações no projeto de instalação da área industrial no município, a fim trazer novas empresas para a cidade e gerar cerca de 5 mil empregos diretos e indiretos. As áreas de futuras instalações estão localizadas no Polo Industrial Nova Canaã e da região da Emgopa.

O prefeito do município Divino Lemes disse que já esteve em visita a Superintendência da Zona Franca de Manaus, foi recebido pelo executivo Anderson Chaves e outros representantes da empresa onde apresentou as potencialidades do município. “A ideia trazer para a região empresas que queiram expandir no Centro-Oeste. No Amazonas há interesse de empresas de multiplicar seus trabalhos e sua logística em nossa região e nosso objetivo é trazer algumas delas ou o maior que pudermos para somar conosco”, mencionou.

Os objetivos principais da implantação das áreas de livre comércio são a melhoria na fiscalização de entrada e saída de mercadorias, o fortalecimento do setor comercial, a abertura de novas empresas e a geração de empregos. “Essa importante ação vai oferecer benefícios fiscais importantes como incentivos do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS)”, garantiu Divino Lemes, prefeito de Senador Canedo.

Zona Franca de Manaus

A Zona Franca de Manaus (ZFM) é um modelo de desenvolvimento econômico implantado pelo governo brasileiro objetivando viabilizar uma base econômica na Amazônia Ocidental, promover a melhor integração produtiva e social dessa região ao país, garantindo a soberania nacional sobre suas fronteiras.A mais bem-sucedida estratégia de desenvolvimento regional, o modelo leva à região de sua abrangência (estados da Amazônia Ocidental: Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima e as cidades de Macapá e Santana, no Amapá) desenvolvimento econômico aliado à proteção ambiental, proporcionando melhor qualidade de vida às suas populações.

A ZFM compreende três pólos econômicos: comercial, industrial e agropecuário. O primeiro teve maior ascensão até o final da década de 80, quando o Brasil adotava o regime de economia fechada. O industrial é considerado a base de sustentação da ZFM. O pólo Industrial de Manaus possui aproximadamente 600 indústrias de alta tecnologia gerando mais de meio milhão de empregos, diretos e indiretos, principalmente nos segmentos de eletroeletrônicos, duas rodas e químico. Entre os produtos fabricados destacam-se: aparelhos celulares e de áudio e vídeo, televisores, motocicletas, concentrados para refrigerantes, entre outros. O pólo agropecuário abriga projetos voltados à atividades de produção de alimentos, agroindústria, piscicultura, turismo, beneficiamento de madeira, entre outras.