Justiça libera divulgação do áudio do senador-cueca e Vanderlan diz que vai recorrer

A coligação Pra Goiânia Seguir em Frente conseguiu na Justiça mandado de segurança que permite a veiculação de peça publicitária em que o candidato a prefeito pela coligação Goiânia em um Novo Momento, Vanderlan Cardoso (PSD), defende o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), flagrado pela Polícia Federal com dinheiro na cueca e entre as nádegas. O desembargador Luiz Eduardo de Sousa, do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO), suspendeu, neste domingo (1º/11), os efeitos de liminar concedida pela juíza Liliana Bittencourt, na última quinta-feira, que proibia a exibição de uma gravação pública.

No áudio divulgado pela imprensa, Vanderlan afirma que Chico é seu amigo “há mais de 30 anos” e que “não tem nada que desabone a conduta do senador”. Vanderlan também afirma que “não podemos em hipótese alguma aceitar essa interferência, essa decisão absurda de um ministro do Supremo” de afastar Rodrigues do Senado. O senador Chico Rodrigues foi alvo de operação da Polícia Federal contra desvios de recursos que deveriam ser para o combate à Covid-19. Na quinta-feira, a juíza Liliana Bittencourt, da 2ª Zona Eleitoral, concedeu liminar à campanha de Vanderlan para que a propaganda em questão seja suspensa imediatamente.

Nesta última decisão, que atende ao pedido da coligação Pra Goiânia Seguir em Frente, o desembargador Luiz Eduardo de Sousa destacou que ao analisar o teor da propaganda eleitoral “não se percebe qualquer violação ao bem jurídico salvaguardado” pela legislação eleitoral, uma vez que “o candidato não teve a sua imagem degradada e ridicularizada”. O magistrado também frisa que o conteúdo da mensagem foi confirmado pelo senador Vanderlan Cardoso, que repercutiu a produção na sua propaganda eleitoral numa tentativa de se desculpar com o eleitorado. Além disso, o magistrado frisa que a fala do candidato foi noticiada por grandes veículos de imprensa e que não se trata de propaganda com teor inverídico.

Nas emissoras de rádio e televisão, Vanderlan confirmou a autoria do material. “Esse áudio, infelizmente, é verdadeiro. Fui eu que falei aquilo (…) eu errei, falei bobagem, acabei sendo extremamente infeliz no que disse. Meu erro foi dizer uma bobagem mal pensada em um áudio, uma bobagem para não causar constrangimento em um grupo”, admitiu Vanderlan, duas semanas após a gravação ter se tornado pública. Inicialmente, Vanderlan adotou uma postura de negar que tivesse defendido o colega. O vídeo em que admite a declaração é uma mudança na postura do candidato que corrobora com a pertinência da propagação do áudio, avalia a coligação emedebista.

Vanderlan

Em relação à decisão da Justiça Eleitoral que manteve a possibilidade de exibir nosso áudio, a assessoria jurídica da Coligação Goiânia em um Novo Momento vai recorrer.

Lamentamos que em um momento tão delicado, em que o candidato adversário luta pela vida, seu partido, o MDB continue atacando nossa coligação.

Conforme já informamos publicamente, o marketing de nossa campanha não responderá aos ataques.

Vamos continuar respeitando o momento de convalescência do candidato. Desejamos sua pronta recuperação e vamos manter uma campanha focada nas propostas para Goiânia.