Bento Fleury lança o livro ‘Crônicas do Judiciário em Goiás’

Está pronto para ser lançado o livro Crônicas do Judiciário em Goiás. Concebida pelo escritório Crosara Advogados e produzida pela Editora A Redação, a obra foi escrita por Bento Alves Araújo Jayme Fleury Curado e conta com prefácio do desembargador Luiz Cláudio Veiga Braga e da historiadora Lena Castello Branco.

Segundo Bento Fleury, a obra reúne uma série de crônicas escritas ao longo de cerca de dois anos. Antes, o conteúdo era divulgado nas redes sociais do escritor, que, com o passar dos anos, foi incentivado a expandir as publicações com a criação do livro. “Um apanhado de situações interessantes sobre a atividade jurídica em diferentes localidades e com diferentes personagens do cenário em Goiás. São pequenos relatos de fatos do cotidiano do passado que tentam analisar e evidenciar percalços acontecidos com as pessoas que trabalharam no judiciário do Estado de Goiás”, afirma Bento sobre o livro.

Segundo o escritor, um dos objetivos da obra é mostrar que o jurista não vive uma realidade distante das demais pessoas da sociedade. “São crônicas que relatam ocorrências no interior, a relação desses juristas com o jornalismo, literatura, cultura, música, antropologia e sociologia para tentar demonstrar que o jurista não está longe dos corpos do mundo. Ele não trabalha isolado das situações cotidianas nas quais pessoas da sociedade estão sujeitas em passar na vida”, ressalta. Segundo o editor, Wolney Unes, o maior mérito da publicação é mostrar o cotidiano de figuras eminentes da Poder Judiciário, desde o século 18.

Bento produziu cada crônica a partir da análise de vários documentos, cotejando e comparando dados, a fim de comprovar todos os fatos. “Busquei documentos e fotografias que embasaram cada crônica. Toda e qualquer situação é verídica e documentada. Tivemos o cuidado de inserir para cada situação um dado comprobatório”, finaliza.

O livro é ilustrado com fotografias de época dos personagens e reproduções dos documentos. As quase cem imagens são oriundas do acervo de Amália Hermano, que foi doado ao autor após sua morte. Ao deparar-se com a riqueza do material, a historiadora Salma Saddi, gestora de Projetos do Crosara Advogados, percebeu seu potencial: “pedimos a Bento que organizasse o material e montasse uma linha condutora para aqueles documentos”. “A partir do material bruto, textos e imagens, buscamos um editor para produzir o livro”, complementa. O resultado é um panorama de personagens e fatos da história do Direito em Goiás.