Campanha agressiva e demora de resposta para o áudio da cueca queimaram filme de Vanderlan

O Goiás24Horas perguntou cinco publicitários com experiência em marketing político em Goiás sobre a forma e o conteúdo da campanha de Vanderlan Cardoso a prefeito de Goiânia e todos eles foram unânimes em afirmar que o desempenho do candidato do PSD foi abaixo da crítica.

“A estratégia de marketing de Vanderlan foi totalmente equivocado e o resultado não poderia ser outro senão a derrota”, disse um dos publicitários ouvidos,. Ele assinalou em tom de ironia que o pessedista fez a campanha sozinho em campo e perdeu com gol contra. “Apareceu mal na televisão e adotou um discurso descabido de ódio”.

“Foi desastre colossal que vai virar case de como nåo se deve fazer uma campanha eleitoral”, emendou outro publicitário. De acordo com ele, Vanderlan fez uma campanha muita agressiva, sem propostas e demorou demais a responder o áudio da cueda do senador amigo dele. “Até a cara dele ficou meio demoníaca”.

Os publicitários acrescentam também que Vanderlan errou ao contratar um marketeiro inexperiente que não conhecia a realidade de Goiás. “Ele se embaraçou em questões secundárias e não soube sequer posicionar o candidato ao longo da campanha.”

“A campanha de Vanderlan foi um festival de amadorismo”, observaram, sublinhando em coro que o desempenho negativo da campanha deixará sequelas graves na imagem do senador, o que pode comprometer em definitivo projetos políticos futuros dele.

“Vanderlan saiu da campanha como um político que defende corruptos que guardam dinheiro na cueca, que abandona mandatos pela metade, que é desumano, sem compaixão, a ponto de desejar a morte dos adversários.”