Jornal Opção: empresas alegam prejuízo e transporte público em Goiânia pode ter paralisação

Nesta semana, a Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC) recebeu um manifesto das empresas concessionárias sobre o risco de colapso no transporte coletivo nos próximos dias. Segundo Adriano Oliveira, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia (SET), as empresas vêm enfrentando problemas financeiros desde o início da pandemia. Foram tomadas medidas paliativas que diminuíram os prejuízos, entretanto, os recursos chegaram ao fim e o risco de um colapso é iminente.

“O que a gente fez nesses últimos dias foi alertar as autoridades, o poder público do risco iminente de um colapso no sistema. As empresas vêm enfrentando desde o início da pandemia um gravíssimo desequilíbrio. A nossa receita inicialmente caiu mais de 80%, hoje está estabilizado um pouco abaixo de 50%. Com essa queda brusca na receita sem que a gente pudesse ter feito o mesmo ajuste na despesa, a gente começou a experimentar um déficit muito grande. Até o final do ano, só na operação a diferença entre receita e despesa vai chegar a R$75 milhões”, relata Adriano.

Veja a matéria completa aqui