Iris apresenta balanço da gestão da prefeitura de Goiânia 2017/2020

O prefeito Iris Rezende tem trabalhado nos últimos quatro anos com uma meta principal: construir a Goiânia do futuro. E, o balanço desta gestão, apresentado à imprensa nesta sexta-feira, 18, revela números impressionantes. Em 2017, Iris assumiu a Prefeitura com déficit mensal de R$ 31 milhões e uma dívida consolidada de R$ 1 bilhão. Hoje, ao final de seu mandato, após sanear as contas e fazer investimentos da ordem de R$ 1,5 bilhão, deixará ao seu sucessor cerca de R$ 1 bilhão em caixa.

Ao tomar posse, o prefeito encontrou um cenário de grave crise financeira. As primeiras ações, portanto, foram tomadas para reverter esse quadro. Com a redução de despesas, as contas da Prefeitura foram recuperadas e, apesar da crise, a receita do município teve crescimento de 37% nos últimos anos, chegando a quase R$ 6 bilhões.
Todas as iniciativas do prefeito foram no sentido de recuperar as finanças para garantir a execução das obras e a oferta de serviços essenciais aos goianienses. A reestruturação da previdência municipal e a manutenção das despesas com pessoal dentro dos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal são exemplos desse esforço para alcançar o equilíbrio financeiro e fiscal e retomar a capacidade de investimento.

R$ 1,3 bi investido em obras

Com as finanças saneadas e dinheiro em caixa, a Prefeitura retomou obras paralisadas na gestão anterior e iniciou novos projetos de grande impacto, para melhorar a mobilidade urbana em Goiânia. O investimento é recorde e chega a R$ 1,3 bilhão. De todas as obras iniciadas pela Seinfra, 84% foram concluídas e 16% estão a concluir. A pandemia atrasou o cronograma das obras, mas os recursos para conclusão estão garantidos.

Foram retomadas as obras do BRT Norte-Sul, com a construção, reforma e ampliação de estações de embarque e desembarque, terminais de integração, trincheiras e viadutos.

O prolongamento da Avenida Leste-Oeste já está quase pronto. O trecho leste sai do centro e segue até a divisa com o município de Senador Canedo, e inclui o túnel embaixo da BR-153, 5ª avenida e viaduto sobre a Marginal Botafogo; no tramo oeste, a avenida se estende até a divisa com Trindade, e as obras incluem o viaduto sobre a Avenida Castelo Branco e a ponte sobre o córrego São José.

Outras grandes obras estruturantes também estão em estágio avançado. Entre elas, o Corredor T-7, que se estende da Praça Cívica até o Terminal Bandeiras, passando por 11 bairros. Este corredor beneficia, em média, 182 mil pessoas todos os dias.

O Complexo Viário Jamel Cecílio inclui a construção do viaduto e o prolongamento da Marginal Botafogo até a Avenida 2ª Radial. Trazendo maior fluidez ao trânsito no Setor Sul, no Jardim Goiás e no Setor Pedro Ludovico, ele vai causar um enorme impacto sobre a mobilidade em toda a capital.

A Marginal Cascavel, que inclui também uma grande obra de canalização, vai agilizar o trânsito na região oeste.
A ponte da Vila Alpes, que liga o bairro ao Jardim América, já está quase pronta e vai beneficiar mais de 120 mil pessoas todos os dias. O viaduto da Enel, na BR-153, vai oferecer mais uma opção de ligação entre a região leste e o centro da cidade e já teve sua primeira etapa concluída.

Essas obras são importantes para promover a integração entre as diferentes regiões de Goiânia. Elas ligam a cidade, encurtam distâncias, melhoram a fluidez no trânsito e beneficiam moradores do centro e da periferia.
Além disso, 33 bairros foram pavimentados e 630 km de asfalto estão sendo reconstruídos em mais de 100 bairros da capital. As vias recapeadas recebem sinalização vertical e horizontal, para segurança de motoristas e pedestres.

Eficiência e transparência na Saúde

A gestão e o atendimento na saúde passaram por uma profunda reestruturação. A Prefeitura investiu na estrutura física das unidades de saúde e, também, na qualidade da prestação do serviço à população. Foram mais de 5,8 milhões de atendimentos, distribuídos entre urgência, atenção especializada e atenção básica.

Oito novas unidades de saúde foram concluídas: o Hospital e Maternidade Célia Câmara, as unidades de Saúde da Família Jardim Planalto, Itaipu e São Judas, e as UPAs Jardim América, Jardim Guanabara, Chácara do Governador e Novo Mundo.

A administração municipal também respondeu com rapidez à pandemia. Goiânia foi uma das primeiras cidades do país a implantar medidas rigorosas de distanciamento social. E, a lisura nas compras emergenciais garantiu à cidade destaque em transparência entre as capitais brasileiras.

Para combater a propagação do coronavírus, a Prefeitura investiu R$ 175 milhões na saúde, aumentou a quantidade de leitos para tratamento da Covid-19, implantou serviço de telemedicina, e tem feito a testagem ampliada, em todas as regiões de Goiânia. Cerca de 260 mil testes já foram realizados por toda a cidade.

Mais vagas e investimentos acima do limite constitucional na Educação

Na Educação, além de aplicar valores acima do limite constitucional, o prefeito entregou mais 14 escolas em tempo integral, 22 novos CMEIs e ampliou em mais de 5 mil vagas o atendimento nos ensinos infantil e fundamental com a implantação de salas modulares.

Em 2020, a rede municipal alcançou o maior número de alunos matriculados em sua história. Com as novas obras, a gestão chegou, neste ano, a 108.728 vagas oferecidas. Até 31 de dezembro, 920 vagas para educação infantil serão criadas, totalizando 8.522 novas vagas criadas. Foram acrescidos parques a todos os CMEIs da Rede Municipal de Educação e entregues uniformes escolares a todos os alunos.

Mais de 19 milhões foram investidos no Programa Escola Viva que reformou todas as unidades da rede anualmente, nos últimos quatro anos, e se tornou lei em novembro de 2020.

Com a pandemia e as medidas de isolamento social, a Prefeitura se adaptou para que todos os alunos tivessem acesso à educação. Foi criado o Programa Conexão Escola e implantado um portal on-line para disponibilizar conteúdo e suporte aos estudantes.

O ambiente virtual de aprendizagem com atendimento via chatbot, e o Conexão Escola TV, em parceria com a TV UFG, são conquistas que vão permanecer depois da pandemia, reforçando a educação de qualidade na Rede Municipal de Ensino.

Goiânia: capital verde referência no País

Sob o comando do prefeito Iris Rezende, Goiânia se firmou como uma das capitais mais verdes do Brasil.
Foram 11 novos parques implantados e outros 3 estão em construção, chegando a 54 parques, que oferecem oportunidades de lazer e convivência, com equipamentos para prática de esporte, diversão das crianças e bem-estar da população.

Entre 2017 e 2020, 70 novas praças foram construídas e outras 607 revitalizadas, incluindo a instalação de 221 kits de equipamentos de academia para prática de exercícios ao ar livre.

O sistema de licenciamento ambiental foi desburocratizado. Foram criados e implantados os programas Licença Ambiental Fácil, Amma+Fácil, Amigo Verde, o Selo de Sustentabilidade Ambiental e o Programa Recuperando Pessoas e Parques.

A gestão do lixo também foi modernizada, com a renovação da frota da Comurg com 49 modernos caminhões compactadores e a coleta seletiva chegando a toda a cidade.

Mutirões: prefeitura mais perto do cidadão

Nesses quatro anos, foram promovidos 27 mutirões e centenas de frentes de serviço para aproximar a prefeitura das pessoas. Nos mutirões, são realizados atendimentos com todos os órgãos da administração municipal, e oferecidos serviços como: obtenção de documentos, ações preventivas de saúde, consultas com especialistas, ofertas de empregos, oportunidades de formação profissional e educação ambiental.

Desenvolvimento em todas as áreas

Goiânia deu um salto de desenvolvimento. A estrutura foi modernizada e a prestação de serviços à população ampliada em todas as áreas da gestão.

A população em situação de vulnerabilidade social conta hoje com uma rede de assistência social, com 76 unidades, incluindo os Cras, Creas, unidades de acolhimento e organizações parceiras.

A cultura também recebeu investimentos importantes. A cidade ganhou novos espaços culturais, com a revitalização da Estação Ferroviária, que agora abriga o Museu Frei Confaloni, e a conclusão do Centro Cultural Casa de Vidro.
Criado por Iris Rezende em seu primeiro mandato à frente da Prefeitura, o Mutirama passou por uma grande reforma e foi reaberto com brinquedos mais seguros e ingressos gratuitos a toda a população.

Os resultados apresentados hoje evidenciam a capacidade que o prefeito Iris Rezende tem de superar desafios e promover uma administração transparente, humana, e eficiente a todos os goianienses. Esta gestão está entregando aos moradores de Goiânia a cidade do futuro.

Principais números da gestão:

Em 2017:
• A Prefeitura tinha dívida consolidada de R$ 1 bilhão e déficit mensal de R$ 31 milhões.

Em 2020:
• Foram investidos cerca de R$ 1,5 bilhão, sendo: R$ 1,3 bilhão em obras de infraestrutura e mobilidade urbana e R$ 175 milhões na saúde, para combater a pandemia do coronavírus;

• R$ 775 milhões foram contratados e estão no caixa da Prefeitura para garantir a conclusão das obras que estão em andamento

• Superávit – O tesouro municipal terá aproximadamente R$ 250 milhões que serão herdados pela próxima gestão;

• Em agosto de 2020, a receita corrente líquida somou R$ 5,17 bilhões. O total de despesas com pessoal foi de R$ 2,21 bilhões, o que representa 42,75% da receita. O valor está abaixo do teto estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que fixa em 54% o limite máximo para o comprometimento das receitas com gastos de pessoal.

• A Prefeitura tem poder de endividamento de 120%, no entanto, o percentual de endividamento atual é de 28%. Ou seja, o prefeito eleito terá capacidade de endividamento de 92%, podendo buscar recursos da ordem de R$ 4,7 bilhões para futuros investimentos na capital.