Apenas 4% dos imóveis tiveram aumento de IPTU em Goiânia

Apenas 4,3% dos imóveis da Capital tiveram aumento no valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) deste ano. A alta reflete alterações no Cadastro Imobiliário, a exemplo de ampliação da área construída, que resultaram em valorização mercadológica ou em nova destinação de uso para a propriedade.
Dos 619.478 boletos que estão em processo de entrega desde o final de janeiro, 26.476 têm aumento decorrente de alterações no perfil do imóvel. Ao todo, pela lei vigente, 10 variáveis podem aumentar o valor do tributo que incide sobre propriedades imobiliárias. O IPTU vence na próxima segunda-feira (22/2) e até a data pode ser pago à vista ou com 10% de desconto ou parcelado em 11 vezes, desde que o valor mensal não seja inferior a R$ 27,41.
A principal razão do aumento acima da inflação, que em 2020 foi 4,51%, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), é a chegada de pavimentação à rua onde o imóvel se localiza. O Código Tributário Municipal (CTM) agrega na Zona 4 os imóveis residenciais situados em vias sem asfalto, mas a chegada do benefício automaticamente enquadra os novos bairros pavimentados na Zona 3. Essa mudança altera a alíquota – percentual que incide sobre o valor de algo tributado – de 0,20% para 0,36%, o que consequentemente aumenta o valor do IPTU.