Sem Iris, PMDB franqueia palavra a Kid Neto, que ficou famoso por seu ato de racismo

A ausência de Iris Rezende no encontro estadual do PMDB serve apenas para mostrar o quanto o partido depende do seu cacique.

Na falta do ex-prefeito, o PMDB ficou limitado a figuras do baixo clero como Samuel Belchior, Cleuza Assunção, presidentes de diretórios municipais e – pasmem – Kid Neto, ex-secretário geral do PMDB.

Kid andava sumido depois do seu ato de racismo contra o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. Ele inclusive faltou ao último encontro do partido, realizado em Mineiros.

Voltou como se nada tivesse acontecido e empostou ataques contra o governo, como se tivesse moral para criticar alguém.

É esse o PMDB que quer administrar Goiás.