730: Na pesquisa espontânea, Marconi tem mais da metade do eleitorado e vence no 1º turno

Veja análise da rádio 730 sobre a pesquisa espontânea do Serpes:

 

Marconi seria reeleito no 1º turno

Longe das eleições, pesquisa quantitativa como a do Serpes tem o mesmo valor de um risco na poluída água do Rio Meia-Ponte. Nenhum. O que se aproveita dela é a modalidade espontânea, que mostra a maioria do eleitorado indecisa: 62,2% não têm candidato (8,4% dizem que não vão votar “em nenhum” e 53,8% “não sabem”). Dos 37,8% restantes, Marconi Perillo fisga 20,5%. Ou seja, com mais de metade do eleitorado, seria reeleito no primeiro turno.

A distância entre Marconi e seus dois adversários de verdade, Iris Rezende e alguém do PT, é humilhante: quatro vezes mais goianos disseram espontaneamente que estão com Marconi que com Iris; no caso dos prefeitos petistas, Antônio Gomide (Anápolis) e Paulo Garcia (Goiânia), a balaiada vira sabinada, de 20,5% a 0,9% ou a 0,1%. São mais de 2.000% acima do melhor classificado no PT.

Entre Marconi e os petistas estão Vanderlan, Caiado, Friboi e Maguito Vilela, Alcides Rodrigues, Otavinho Lage e até José Éliton. Como cada partido só pode ter um candidato a governador, ficam eliminadas as duplicidades. Sobram Caiado e Vanderlan, que não têm capilaridade, racharam a tal Via Alternativa e vão lamber embira cada qual em seu canto. Vão murchando até virar balão enrugado. Adversário com chance contra Marconi tem de sair do PMDB e do PT, de preferência com os dois partidos juntos, o que virou pesadelo e ninguém mais aventa a possibilidade – só creem nisso a presidente Dilma Rousseff e seu vice, Michel Temer, que, alheios à política goiana, garantiram a Friboi que ele representará as duas siglas como candidato a governador. Nem Joesley Batista, o inteligente do grupo JBS, acredita nisso.