“Obscuro” Cidim ainda não explicou até agora 750 voos com aviões do governo

Alcides Rodrigues, o Cidim, paladino da moral, acusado de improbidade administrativa em diversos processos, quer agora sair da defesa e ir ao ataque. Mas tem que se explicar primeiro: como conseguiu realizar – durante seu governo – 750 voos em aviões do governo estadual para as cidades de Rio Verde (GO), Santa Helena (GO), Araguacema (TO) e Palmas (TO)?

“Por uma dessas coincidências da vida, todas as cidades próximas a fazendas de propriedade do ex-governador”, diz texto da revista Veja. Nos bastidores, dizem que Cidim gosta mais de avião do que Santos Dumont – que inventou a engenhoca.

E quais as consequências dessas viagens às nossas custas? O Tribunal de Justiça de Goiás, com medo de Cidim desaparecer com o dinheiro público, bloqueou parte dos bens do ex-governador e da mulher dele, Raquel Rodrigues. O casal responde judicialmente por ter usado o avião do governo do estado.

O Ministério Público pede ressarcimento de 3,8 milhões de reais (a soma dos custos das viagens) aos cofres estaduais.
Até agora Cidim, que gastou também R$ 1,3 milhão em bebidas alcoólicas, não explicou a conta e os motivos. E como a revista Veja define Cidim? “Político obscuro”.

Pois é, o obscuro Cidim , que já entra para a história como o maior traidor da política goiana, agora é o recordista de usos de avião no Brasil.

O mais interessante é que existia a lenda de que Cidim não gostava de avião, por temer acidentes. Inclusive numa viagem que fez ao Chile, a turbina do avião congelou e a aeronave teve que fazer um pouso emergencial na Argentina. Acusado de ‘pé frio’ pelos amigos, muitos tentaram cancelar o voo de volta e não ir com o então vice-governador goiano.

Mas como governador, Cidim pegou gosto pela coisa e viajava quase que dia sim, dia não. Era um Deus dos ares!

Conforme a revista Veja apurou, entre abril de 2006 e dezembro de 2010, o casal de políticos fez 1.348 voos. “Mais da metade deles, 750, se deram fora da agenda oficial. A mulher do governador foi a única passageira em 278 deslocamentos”, diz a revista.

O que diz o Ministério Público sobre essa fome de Cidim por avião: “Alcides aproveitou-se das regalias oferecidas pelo cargo de governador e utilizou indevidamente as aeronaves do estado de Goiás para fazer diversas viagens particulares, principalmente para as cidades onde possui fazendas”.

Explica essa, Cidim.