Vanderlan deixa um monte de lacunas em suas respostas às perguntas do jornal O Popular

A entrevista de Vanderlan Cardoso ao jornal O Popular deixou um monte de lacunas nas respostas do pré-candidato aos questionamentos dos jornalistas.

Em vez de esclarecer, o ex-prefeito de Senador Canedo criou mais dúvidas sobre a viabilidade de sua candidatura e as alianças que pretende fazer.

Ele exagerou nas respostas vagas, genéricas e sem informações.

Veja algumas delas:

O sr. já tem ideia das alternativas que conta para montar sua chapa majoritária?
Temos alguns partidos que estamos conversando, estamos aguardando essas definições para o próximo ano. Ninguém tem isto definido por agora. Quem está falando em chapa sabe que as decisões serão próximas às convenções, dois ou três dias antes do fim do prazo.
Mas já consegue listar os partidos que estão certos numa aliança com o PSB?
Nós temos hoje o PSB, do qual sou presidente, o PSC e o PRP. São estes que tenho autorização para falar. Com o PDT já tenho conversas adiantadas, mas a definição será somente na convenção. E tem outros partidos que estamos conversando, mas não tenho autorização para mencioná-los, até por uma questão de estratégia dessas siglas.

Esses partidos que o sr. citou não têm grande capilaridade nos municípios, não contam com grande volume de prefeitos e nem de deputados. Como superar esta carência numa disputa eleitoral?
Trabalhando diretamente com o eleitor, com o povo. Se você analisar hoje a questão dos prefeitos, por exemplo, a maioria deles está em dificuldades em seus municípios. Em algumas cidades temos apoio de ex-prefeito e lideranças fortes que têm muito mais condições de agregar mais para nós do que o próprio prefeito. Então estamos trabalhando desta forma, procurando chegar diretamente no eleitor. Não tenho esperança que prefeitos, com a forma como o governo do Estado age, a pressão que vai em cima e todos eles de pires na mão, vão nos dar apoio num momento tão distante da eleição.

Complicado, né?