Editorial do O Popular critica a sucessão de erros da UEG nos concursos públicos

Editorial do jornal O Popular bate pesado na sucessão de mancadas da UEG na preparação dos concursos públicos em Goiás.

“Chega de falhas”, pede o jornal da Serrinha.

 

Veja o editorial:
Chega de falhas

Não é possível mais aceitar como uma contingência de que errar é humano a série de equívocos cometidos na elaboração das provas de concursos públicos promovidos pela administração estadual. Os erros são de responsabilidade do Núcleo de Seleção da Universidade Estadual de Goiás (UEG). As constantes falhas na elaboração e correção das provas estão frustrando os candidatos e causando indignação, visto que a maioria se sacrifica no grande esforço de preparação, gasta tempo e dinheiro e acaba prejudicada por falhas e anulações.

O concurso público é uma instituto muito importante para ser assim tão maltratado e suscetível a tantos erros. Às falhas nas questões somam-se, segundo os que examinaram as provas, erros crassos de português.

Na anulação dos primeiros concursos pelo menos se supôs que iam ser mais bem cuidadas as novas provas, o que acabou não acontecendo. E os mais novos problemas se tornaram públicos no mesmo dia em que decisão judicial manteve com a UEG a missão de elaborar as provas dos novos certames.

Em fevereiro, o governo decidiu anular provas para concursos iniciadas em dezembro – para o Instituto Mauro Borges, a Secretaria de Ciência e Tecnologia e as Polícias Militar e Civil – devido a indícios de irregularidades. Já foram muitos, portanto, os transtornos e prejuízos aos candidatos, o que não pode mais continuar ocorrendo.