A ameaça do coronelismo: PMDB quer ensinar O Popular como fazer jornalismo

O PMDB, por intermédio do perfil oficial do partido no Twitter, mostra as garras da vocação autoritária e coronelística da legenda.

Numa série de posts, os peemedebistas censuram, tentam constranger e insinuam falta de profissionalismo de profissionais do Popular, a respeito da cobertura da polêmica sobre uma suposta” central grampos” em Goiás – a jornalista Fabiana Pulcineli escreveu sua coluna, na segunda-feira, que o jornal avaliou o assunto e, diante da absoluta falta de provas, resolver ir com cautela.

O perfil não tem força. é seguido apenas por minguados 995 seguidores.

No passado, o partido de Iris Rezende protagonizou a maior caça às bruxas e perseguição à imprensa goiana.

O governo de Iris sufocou jornais, perseguiu jornalistas e tentou implantar a censura em Goiás.

O Diário das Manhã, por exemplo, foi fechado numa trama comandada pelo Palácio das Esmeraldas, em 1984.

Agora, os velhos e novos coronéis entram em campo novamente.

 

Veja os posts:

 

ManDaBrasa @ManDaBrasaGO

Estaria O Popular interessado em esvaziar a CPI e torcendo contra as apurações? Já no início dizia que as denúncias não tinham lastro

Nota do GIRO diz que deputados de oposição são contra a CPI, mas não cita nomes e nem de que partido seriam os deputados. #jogaparaesvaziar?

Lendo a nota principal da coluna Giro do Jornal O Popular de hoje ficamos com a impressão que a coluna torce contra a CPI dos grampos

Parece-nos que estratégia da OJC é questionar os partidos e parlamentares de oposição sobre atuação na crise dos grampos ao invés de apurar