Oportunismo eleitoreiro do PHS em Goiás é a prova de que ter partidos demais é danoso ao País

A notícia de que o PHS de Goiás caiu no colo do senador Caiado depois que o seu presidente, Eduardo Machado, ocupou três cargos de primeiro escalão no governo Marconi é a prova de que temos que rever, com urgência, a lei que permite a existência de mini-partidos políticos por aí.

Ter um partideco é negócio da China. Note o caso de Eduardo, por exemplo. Há anos, a sua “profissão” é ser presidente de partido. Pula de galho em galho sem oferecer nada a quem paga o seu salário.