Por ataques ao Ministério Público, Fabiana Pulcineli vira referência para Caiado em encontro da oposição

A jornalista Fabiana Pulcineli transformou-se em referência para o senador Ronaldo Caiado (DEM) no evento da Frente Unida da Oposição (sem o PMDB) no sábado, em Jaraguá, em função do ataque que ela fez ao Ministério Público por causa do arquivamento da representação de Caiado contra o governo de Goiás. A ação do senador sustentava que estaria havendo suposto uso eleitoreiro do dinheiro da privatização da Celg.

O arquivamento foi determinado pelo promotor Eliseu Belo, que puxou a orelha de Caiado pelo fato de ter montado a sua argumentação em cima de matérias de jornal meramente especulativas – ao que tudo indica, foi com este adjetivo que o promotor mexeu no brio da jornalista.

Em entrevista ao portal do Valle, Caiado disse: “a jornalista Fabiana até comentou sobre isso. Com fatos evidentes, claros, de utilização de dinheiro público na campanha eleitoral, para cooptar e pressionar prefeitos…isso não é o modelo que a sociedade deseja”.

Abaixo, o ataque de Fabiana ao Ministério Público.

Fabiana Pulcineli
Ontem às 11:50 ·
Ao arquivar pedido de representação do senador Ronaldo Caiado (DEM) para acompanhamento da aplicação de recursos da privatização da Celg D, a Suprocuradoria Geral de Justiça de Goiás apresenta três argumentos, segundo matéria do Popular:

– O pedido é baseado em matérias jornalísticas e especulativas. Uai, no Brasil inteiro eu vejo investigações do MP a partir de matérias jornalísticas. Aqui isso é problema.

– O governo Marconi Perillo “foi transparente na apresentação das obras que receberão os recursos públicos com Decreto Estadual que detalhou obras prioritárias”. O procurador só não tem a informação de que o decreto foi alterado pouco tempo depois, com mudanças das obras e nenhuma transparência sobre os motivos.

– “Ademais, a aplicação de tais verbas conta com a fiscalização do Tribunal de Contas do Estado”. Essa nem merece comentários.

Não vi o documento completo do senador Ronaldo Caiado e é claro que, oposicionista que é, usa tom político acima de argumentos técnicos. Agora, essas justificativas para arquivar o pedido dizem muito sobre o MP-GO.