Apesar do BRT parado, secretário de Obras de Goiânia é tratado como Deus na Câmara Municipal

“Quero parabenizar vossa Excelência pelo trabalho”: esta frase foi repetida à exaustão pela esmagadora maioria dos vereadores ao secretário de Obras da prefeitura de Goiânia, Fernando Cozetti, na visita que ele fez nesta quarta-feira à Câmara – apesar de ser ele o responsável pela paralisação das obras do BRT Norte-Sul. Foi tratado como Deus.

Não era para ser assim. Cozetti foi convidado ao Legislativo para apresentar detalhes sobre o embargo na construção do BRT, que não avança há quase dois meses. Pouco se falou sobre o calote no salário dos operários da obra há quase quatro meses. O secretário NÃO apresentou uma solução para o problema dos trabalhadores e tampouco explicou como pretende convencer a Caixa Econômica Federal de que não há sobrepreço no projeto.

Puxaram saco de Cozetti Wellington Peixoto (PMDB), Paulinho Graus (PDT), Paulo Magalhães (PSD), Romário Policarpo (PTC), Gustavo Cruvinel (PV), Juarez Lopes (PRTB), Emilson Pereira (PTC), Eduardo Prado (PV), Anselmo Pereira (PSDB), Leia Klebia (PSC), Cabo Sena (PRTB), Oséias Varão (PSB) e Paulo Daher (DEM).

As únicas cobranças partiram de Jorge Kajuru (PRP), Dra. Cristina (PSDB) e Alysson Lima (PRB), que merecem menção honrosa.