Caiado defenderia o fim do horário eleitoral se não fosse líder nas pesquisas para o governo em 2018?

O blog 24 Horas convida o leitor a uma reflexão: será que o senador Ronaldo Caiado (DEM) defenderia, no Congresso, o fim do horário eleitoral gratuito de rádio e televisão se ele não fosse o líder nas pesquisas de intenção de voto para governador?

Ainda na mesma pergunta: será que o senador está realmente preocupado com o que é melhor para o Brasil ou o que ele quer, na verdade, é restringir a campanha a governador a posts nas redes sociais e matérias em jornais?

Pense bem, amigo leitor: este seria o cenário ideal para o senador, que viabilizaria sua vitória nas urnas sem ter de debater ideias e sem correr risco de ver sua candidatura derreter, como derreteu a de Delegado Waldir em 2016. Ele e Waldir, inclusive, têm perfis bastante parecidos.

A proposta de Caiado é acabar com o horário eleitoral e, por consequência, com a desoneração fiscal que emissoras de rádio e TV ganham para veicular as mensagens dos políticos. Com os R$ 2,5 bilhões que seriam pagos ao governo com o fim da desoneração, criaria-se um fundo público para financiamento de campanhas eleitorais.