Do grupo que matou trabalho para puxar saco de Daniel e Lúcia em plena segunda, três são secretários de Iris

Dos oito puxa-sacos que mataram serviço nesta segunda-feira para paparicar a senadora Lúcia Vânia (PSB) e o deputado federal Daniel Vilela (PMDB), representando partidecos, três são secretários do prefeito Iris Rezende (PMDB), têm o salário pago pelo povo e deveriam estar trabalhando nesta segunda-feira.

São eles: Alexandre Magalhães, presidente da Agência de Turismo e Lazer (Agetul), Denes Pereira, presidente da Comurg, e Fernando Meirelles, presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC). É a oposição que temos em Goiás.