Dia de serviço enforcado por auxiliares de Iris para politicar custou R$ 1.412,22 ao contribuinte

Visita do “bonde de alegria” foi parar nas redes sociais da senadora Lúcia Vânia (PSB)

Na última segunda-feira, cinco auxiliares do prefeito Iris Rezende (PMDB) que presidem partidecos em Goiás abandonaram os seus afazeres na administração pública para puxar saco da senadora Lúcia Vânia (PSB) e do deputado federal Daniel Vilela (PMDB). O dia de serviço que eles enforcaram custou ao contribuinte R$ 1.412,22, segundo cálculos do blog.

A cifra pode ser maior, já que a reconhecemos apenas cinco dos integrantes da comitiva. Do primeiro escalão da prefeitura, estavam: Denes Pereira, presidente da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg); Alexandre Magalhães, chefão do Mutirama e presidente da Agência de Turismo e Lazer (Agetul); e Fernando Meirelles, presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC).

Representando, o segundo escalão, estavam José Nicolau de Oliveira Neto, cujo nome de guerra é José Netho, presidente do PPL; e Eduardo Macedo, presidente do PMN. Netho ocupa uma sinecura na Secretaria de Governo e Macedo é superintendente de Gestão de Pessoas e Folha de Pagamento.

Abaixo, o salário mensal deles. 

Alexandre Magalhães (PSDC): R$ 10.554,44

Denes Pereira (PRTB): R$ 10.710,86

Eduardo Macedo (PMN): R$ 6.130,93

Fernando Meirelles (PTC): R$ 9.340,69

José Netho (PPL): R$ 5.630.50