Discurso de terra arrasada adotado por Caiado já empolgou outros candidatos de oposição em Goiás, mas todos que apostaram nesse estilo foram derrotados

O famoso discurso de terra arrasada já teve efeito há algum tempo. Funciona assim: o candidato, quase sempre de oposição, diz que tudo que a atual gestão faz é uma porcaria e que ele, caso seja eleito, vai mudar tudo para melhor.

Isso dava certo no tempo do onça, como dizem os mais antigos. Nas últimas eleições aqui em Goiás, quem apostou nessa tática levou rasteira feia nas urnas. O senador Ronaldo Caiado (DEM), radical por natureza, é o mais novo adepto do discurso de terra arrasada.

Para Caiado, Goiás está à beira do caos em todas as áreas (saúde, segurança, economia) e só ele, claro, pode dar jeito no Estado. É um discurso fantasioso. O eleitor não cai nessa.

Temos dois exemplos recentes no Estado: Vanderlan Cardoso (PSB) e Antônio Gomide (PT). O empresário de Senado Canedo apareceu em 2010 se dizendo ser a renovação e pregando o discurso de terra arrasada. Perdeu! Em 2014, também foi por esse caminho e novamente foi derrotado.

Gomide também tropeçou na mesma pedra. Em 2014, dizia ser o salvador da Pátria ou, no caso, do Estado de Goiás. Perdeu feio!