Tragédia no Mutirama: brinquedo não deveria estar funcionando, dizem peritos

O instituto de Criminalística (IC) da Polícia Civil concluiu que o Twister, brinquedo do parque Mutirama que quebrou no dia 26 de julho e deixou 13 feridos, deveria ter sido desativado há muito tempo. A afirmação se pauta em estudos feitos em 2011 que comprovaram que, já naquela época, havia fissura de dez centímetros no eixo da máquina.

O presidente do IC, Rodrigo Irani Medeiros, afirma que a evolução da fissura deveria ter sido acompanhada por técnicos a serviço da prefeitura. “Provavelmente não teve esse acompanhamento. Não foi apresentado nada neste sentido”, diz.

Rodrigo afirma também, na reportagem, que “conforme apontado no laudo, não poderia estar em funcionamento porque como mostraram os detalhes técnicos, já se tinham marcas que apontavam as fissuras. E o eixo, que tinha 16 cm, já tinha rachadura de dez. Ou seja: não aguentava mais o peso do equipamento”.

O relatório foi encaminhado ao delegado Izaías Pinheiro, da Polícia Civil, que conduz a investigação.