Erro: em vez de diálogo e articulação, Wilder parte para ameaça contra aliados

O senador Wilder Morais (PP) abortou a tentativa de construir a imagem de um político talhado para o diálogo e para articulação. Em entrevista à rádio 730 que foi reproduzida pela coluna Xadrez, do jornal O Hoje, neste sábado, ele revela o lado irascível da sua personalidade política e ameaça abertamente os seus aliados do governo: será candidato à reeleição de qualquer jeito, com ou sem o apoio da base do governador Marconi Perillo (PSDB).

“Eu só tenho um plano: a reeleição ao Senado, e não abro mão. Não quero ser vice, não quer o ser suplente e nem deputado”, afirma. “Eu não tenho tenho problema com ninguém, nem com PMDB, nem com Caiado. Sou amigo de todo mundo e não brigo com ninguém. Sou candidato desde que seja sozinho e tenho esta garantia no PP”.

A declaração de guerra foi mal recebida pelo governo, que não gostou do tom belicoso do senador. O núcleo de articulação política do Palácio das Esmeraldas enxerga ingratidão do senador por entender que ele só chegou aonde chegou porque teve o suporte do governo.