Regra contra nanicos ameaça todos aliados de Caiado, que têm representatividade zero

Caso o Senado confirme, nesta semana, a parte da reforma política que impede a proliferação de paritdecos no Brasil, todas as legendas que hoje apoiam a pré-candidatura de Ronaldo Caiado (DEM) a governador em Goiás podem desaparecer a partir de 2019.

A matéria que será votada prevê a implantação de uma cláusula de desempenho (ou de barreira) que impede o repasse de recursos públicos e o acesso à propaganda de TV e rádio a legendas que não atingirem um patamar mínimo de votos nacionais para deputado federal – em linhas gerais, 1,5% nas eleições de 2018, chegando a 3% em 2030.

Levando em consideração o que aconteceu na disputa eleitoral de 2014, quatorze partidos ficariam abaixo da linha de corte se ela já vigorasse. Entre eles, oito que já declararam apoio a Caiado: PHS, PRP, PEN, PSDC, PMN, PRTB, PTC e PPL. São legendas que não tem representatividade e que servem ao único propósito de atender interesses pessoais de seus donos.