O Popular, pela primeira vez em 75 anos, admite erro em nota na primeira página

Numa atitude raríssima em seus 75 anos de existência, talvez a primeira, o jornal O Popular publicou nota na sua primeira página corrigindo um erro gravíssimo cometido na edição do último domingo.

O Popular publicou matéria, também na primeira página, com a foto de um empresário goianiense, Wesley Alves Guimarães, listada equivocadamente entre os moradores de ruas assassinados nos últimos oito meses.

Tratava-se de um homônimo de Wesley, que, bem vivo, reclamou pesado nas redes sociais.

A repercussão foi grande e levou o jornal a admitir o erro ainda no domingo, em post no Twitter.

Segundo a nota publicada nesta segunda, o erro foi induzido pela Polícia Civil, que forneceu as fotos usadas na matéria e incluiu a do empresário Wesley no lugar do morador de rua Wesley.

O Popular raramente reconhece ter errado. Ao contrário de outros jornais – a Folha de S. Paulo tem uma seção permanente, “Erramos”, em posição de destaque na terceira página -, costuma em casos mais ostensivos apenas publicar minúsculas correções no final da seção de cartas do leitor.

 

LEIA MAIS:

Vale a pena ler artigo publicado na internet sobre erros na imprensa

Erro em capa do O Popular tem grande repercussão no Twitter e Facebook

O Popular atribui à polícia troca de fotos ocorrida na capa do jornal de domingo

Esposa de empresário dado como morto pelo O Popular afirma estar chocada com erro do jornal

O Popular demora, mas faz errata sobre erro gritante na capa do jornal