Filemon diz que Friboi tenta apagar erros políticos com a festa de filiação

Jornalista da cozinha do ex-prefeito Iris Rezende, Filemon Pereira escreve na Tribuna do Planalto que Júnior Friboi faz festa de filiação para tentar apagar erros políticos, com a saída atabalhoada do PSB e a entrada não menos atabalhoada no PMDB.

Como sempre faz em seus textos, Filemon manda recados de Iris para Friboi: o velho cacique abona a ficha de filiação do empresário, mas não garante a candidatura.

E diz mais: “Ao contrário, nos bastidores, a crença é de que Iris é cada vez mais candidato ao governo em 2014”.

 

Veja a matéria:

 

Friboi faz festa para apagar erros

Empresário filia-se, na quarta, 15, com grande festa para tentar sepultar de vez saída conturbada do PSB e ação à revelia de Iris Rezende

Filemon Pereira
Diretor de Redação

O empresário José Batista Júnior, o Júnior do Friboi, prepara uma grande festa para filiar-se no PMDB na próxima quarta-feira, 15, na Assembleia Legislativa. O novo peemedebista quer apagar a saída conturbada do PSB, imediatamente entregue a um possível adversário em 2014, e fazer de sua chegada ao PMDB um trunfo para alavancar sua pretensão de disputar o Palácio das Esmeraldas.
O evento que marcará a chegada de Júnior do Friboi ao PMDB terá a participação do vice-presidente da República, Michel Temer. Virá a Goiânia com ele o presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp (RO). Cerca de 50 prefeitos do PMDB e de partidos da base da presidente Dilma Rousseff em Goiás confirmaram presença, além de deputados federais, estaduais, vereadores e outras lideranças dos mu­nicípios goianos. Todos para chancelar Friboi no PMDB.
Apesar do esforço para tornar grandioso o ato de se integrar ao PMDB, Júnior do Friboi não terá a presença do maior líder peemedebista em Goiás, o ex-governador Iris Rezende. Descontente com a forma como foi articulada a entrada do empresário no partido, acertada com a cúpula nacional e sem a participação de líderes locais, Iris decidiu não comparecer a filiação e aconselhou, em vão, que fosse feito um ato discreto. A deputada federal Iris de Araújo, vice-presidente nacional do PMDB, estará presente.

Racha
A decisão de Iris Rezende cria um impasse que não será resolvido na próxima quarta-feira. O ex-governador irá abonar a ficha de filiação do empresário, mas não terá nenhum compromisso de a­poiar sua postulação ao governo do Estado. Sua ausência tem essa conotação. Ao contrário, nos bastidores, a crença é de que Iris é cada vez mais candidato ao governo em 2014.
Ainda assim a empolgação com Friboi é grande entre deputados e prefeitos do PMDB – muito dos quais o empresário ajudou em 2012 ou prometeu ajuda para a eleição do próximo ano. Ele também tem o aval do comando nacional da legenda, que deve ficar ainda mais evidente depois de quarta-feira.
Quando Vanderlan Cardoso anunciou que estava deixando o PMDB, em meados de 2012, o partido parecia não alternativas para a disputa estadual. Hoje, tem Iris Rezende e Júnior do Friboi. O empresário terá de ter capacidade de aglutinar o partido em torno de seu projeto, despertar entusiasmo das bases e, sobretudo, convencer Iris de que pode construir um projeto viável para o Estado.
Se Iris levar adiante a disposição de disputar uma vez mais a sucessão estadual (e ao que tudo indica, levará), ele e o empresário terão de chegar a um acordo para evitar um racha e uma inédita disputa interna no PMDB – até aqui, todos os descontentes com o comando de Iris deixaram o PMDB e não disputaram o partido com ele.
Vanderlan Cardoso, o último exemplo, enxergou Iris candidato e, por isso, deixou o PMDB um ano depois de chegar com festa e pompa. Friboi não terá tempo para buscar nova alternativa.

Mudança
O empresário Júnior do Friboi anunciou em abril que tinha acertado com o vice-presidente Michel Temer sua filiação no PMDB e, portanto, deixaria o comando do PSB em Goiás. Além de não conversar antes com Iris Rezende, tampouco explicou o desligamento ao presidente nacional do PSB, o governador de Pernam­buco, Eduardo Campos.
Ao visitar o diretório estadual do PMDB, Júnior do Friboi afirmou, em entrevista, que acreditava que conseguiria contornar sua saída do PSB e manter influência sobre a legenda no Estado. Não conseguiu sequer agendar uma conversa com Campos e acabou usando uma carta endereçada ao presidente para desligar-se do PSB. Por decisão de Eduardo Campos, o PSB será comandado em Goiás por Vanderlan Cardoso, também pré-candidato do governo.
Depois de assumir o PSB, Júnior do Friboi fez um esforço considerável para fortalecer a legenda. Na eleição municipal do ano passado ajudou o partido a eleger 11 prefeitos, 12 vice-prefeitos e 98 vereadores. Resta saber quantos desses acompanharão Júnior do Friboi, agora no PMDB.