Ação em família: presidente do PSDC lança o irmão para o Senado 

Em rota de colisão com o senador Ronaldo Caiado devido a escolha do deputado Lincoln Tejota para a vice da chapa caiadista, o presidente do PSDC em Goiás, Alexandre Magalhães, lançou a candidatura do irmão Fernando Magalhães ao Senado.

Alexandre Magalhães, que responde a uma penca de denúncias de corrupção, concorreu ao governo do estado em 2014. Hoje, integra a equipe de auxiliares do prefeito Iris Rezende como presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul).

Ele foi denunciado na Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga as obras públicas que foram paralisadas na manhã desta segunda-feira (25), por utilização do cargo de primeiro escalão a Prefeitura de Goiânia para benefício de sua empresa, a Kelluz Construção, Indústria e Comércio

O presidente da CEI, o vereador Alysson Lima (PRB), aponta ilegalidade do presidente da Agetul comandar uma empresa que tem contrato e preste serviços ao poder público.

Alexandre Magalhães também está envolvido no escândalo de desvio de verbas do Parque Mutirama.

Fernando Magalhães declarou que um dos motivos que o fez colocar o nome na disputa ao Senado “foi a vontade de poder contribuir ainda mais com o Estado e com os goianos”.

Também são da família Magalhães, que tem o ex-conselheiro Juarez Magalhães(já falecido) como patriarca, o ex-prefeito de Cristianópolis, Juarez Júnior, e o presidente do Crea-Go, Francisco Magalhães.