Aconselhado pela fiscalista Ana Carla, Caiado elege servidor público e incentivos fiscais como bodes expiatórios da gestão dele

Ronaldo Caiado já elegeu pelo menos dois bodes expiatórios de sua futura gestão, que começa em janeiro próximo: o funcionalismo público e os incentivos fiscais.

O governador eleito ouve conselhos da ex-secretária da Fazenda do Estado, Ana Carla Abrão, inimiga confessa do funcionalismo e da prática dos incentivos.

Ana sempre defendeu o fim dos incentivos fiscais e arrocho no funcionalismo, como receita fiscalista para resolver os problemas das contas do Estado.

Caiado caiu na conversa dela.