Calote de dezembro: sem salários, servidores relatam situações comoventes de penúria

É a realidade nua e crua que assola a maioria dos 170 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas que estão sem salários desde meados de dezembro, quando o governador José Eliton (PSDB) completou o pagamento da folha de novembro. O prazo legal para a quitação dos vencimentos de dezembro venceu no dia 10 de janeiro e Caiado não dá a menor satisfação sobre quando e como honrará a obrigação de pagar o restante da folha.

Associações e sindicatos tentam na Justiça impedir o descumprimento da ordem cronológica de quitação da folha, obrigando Caiado a pagar dezembro antes de janeiro. O governador persiste na lógica perversa de pagar janeiro e depois “encontrar um jeito” de pagar dezembro, em até 8 parcelas. Assim, contemplará primeiro a legião de amigos, parentes e forasteiros que desembarcou com ele no governo em 1.º de janeiro.

Os servidores estaduais com salários menores relatam situações comoventes de penúria como resultado do calote do governador Ronaldo Caiado (DEM) na folha de dezembro. Um agente penitenciário compartilhou com colegas de trabalho imagem que mostra o uso de fogão a lenha para o preparo do feijão que vai alimentar a família.