Em SP, Doria inova e anuncia PPP para R$ 9 bilhões de investimentos em rodovias. Enquanto isso, em Goiás, governo Caiado é a paralisia total

As rodovias estaduais de São Paulo são conhecidas pela qualidade, modernidade e segurança, resultado de um modelo de concessões que é referência para o País. Agora, o governador João Doria, do PSDB, quer aperfeiçoar o modelo: anunciou nesta sexta-feira (15/2) Parceria Público-Privada para investimentos de R$ 9 bilhões em 1.200 quilômetros de estradas com a implantação de tarifas flexíveis de pedágio.

O novo modelo de cobrança é parecido com a cobrança de aplicativos de transporte: a tarifa vai variar de acordo com o tráfego de veículos, o que deve estimular uma melhor distribuição das viagens. Ao contrário do governador Ronaldo Caiado (DEM), Doria conduz o debate sobre as concessões com responsaabilidade, sem a demagogia barata de indústria do pedágio ou da multa.

Quando o valor do pedágio é justo e as concessionárias devolvem rodovias seguras e de qualidade, os usuários entendem que a tarifa vale a pena. É o que ocorre em São Paulo, tanto que o próprio Doria afirmou, no anúncio dos investimentos, que vai rever os aumentos nos pedágios aplicados na renovação das concessões em 2006, durante o governo de Geraldo Alckmin, também do PSDB.

Enquanto Doria e outros chefes de Executivo estadual pelo país mostram o que é ser governador de verdade, inovando e apresentando medidas consistentes e úteis para o cidadão, Goiás fica para trás com o governo paralítico de Caiado, marcado pela perseguição contra os servidores e o setor produtivo.