Crise dos jornais impressos: Valor Econômico demite 50 profissionais para sobreviver

O jornal Valor Econômico, principal veículo nacional de economia, demitiu 50 profissionais – numa tentativa de reduzir custos e tentar se ajustar à crise provocada pelo esvaziamento dos meios de comunicação em papel diante do avanço acelerado da comunicação via internet.

Fruto da parceria entre a Folha de S. Paulo e as Organizações Globo, o jornal circula desde maio de 2000.

O Valor Econômico implantou um severo programa de redução de despesas. As medidas chegam ao detalhe de exigir dos jornalistas que desliguem os monitores dos computadores ao deixar a redação, à noite, para economizar energia.