Baldy vai ter que escolher: ou fica secretário de Doria em SP ou volta a fazer política em Goiás. Lá e cá, não vai dar

Comandar o PP no processo eleitoral municipal do Estado por controle remoto de São Paulo é o que quer Alexandre Baldy.
A missão é humana e politicamente impossível.
Ou se concentra para ser um bom secretário de Dória ou volta para Goiás para ajudar os candidatos pepistas às prefeituras, em especial Goiânia e Anápolis.
Do contrário, vai ser um auxiliar ruim e um presidente partidário pior ainda.